sexta-feira, 6 de abril de 2007

Atemporalidade - carta

"Dreamland, algum dia do mês do meu aniversário, era pra ser outono e o ano não importa.

Já posso dizer que te amo, embora quisera não poder.
Deveria ser igual das outras vezes: enquanto tenho você perto faço o oposto, e quando tenho longe, não faço nada.
Não é.
Sabe, eu queria te agradecer. Não simplesmente porque você existe nesse mundo e no meu, mas por você ter me ensinado a amar da forma mais solitária que experimentei. Da forma mais quieta. Toda a minha indiferença nas suas provocações não é tristeza, não é dependência, é simplesmente uma manifestação do meu desejo de te deixar ir. Eu quero que você vá e receba todo tipo de intensidade que se conhece, só para você voltar maior, tão grande que vai querer me contar sua vida, finalmente.
Eu te amo da forma mais quieta porque tudo que bastou para eu me apaixonar coube em alguns segundos... e você nem disse nada, só olhou. Eu te amo quando não entendo o tempo e quando tudo o que eu espero, espero só de mim.
Não quero parar. Imagine que nada do que me transmite é doce demais, é só um ponto de interrogação, reticências, talvez, e isso é suficiente para querer te abraçar uns quinze minutos.
Agora te vejo nas melodias, nas letras, nos roteiros, no ócio, no álcool e na história do Pierrot e da Colombina. E o que eu queria mesmo... ah, era te ver por inteiro, Eu do Lado Avesso."

6 comentários:

alter disse...

eu quero saber pra quem essa carta seria enviada ._.

Ci disse...

muito lindo esse texto (carta)!!!

Lais Mouriê disse...

Lindo! Muito lindo mesmo!

kleine kaugummi disse...

Chorei.
Chorei pelo eu te amo da forma mais quieta.

Sei-lá, vc me toca, pq é como se vc falasse tanto de mim.

Espero que possas vê-lo, inteiro. E possa ver-te, antes ainda. Cada vez mais inteira. Tens alma tão linda e ele há de merecê-la.

Otavio Cohen disse...

aff. comentei mas n apareceu.
vo comentar de novo depois.

Otavio Cohen disse...

voltei, reli

Ao mesmo tempo escrevemos de uma maneira tão parecida e tão diferente. Vc tem uma peculiaridade tremenda. Um jeito de deixar elipses e espaços vagos que torna sua expressão misteriosa e consequentemente a sua vida.

Vc cresceu demais esse ano, eu posso te garantir. Quero até ver o post que vai fazer no dia do seu aniversário.

Amo. Amo. Amo.

E que você continue amando tb.