sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Terça-feira

Sabe que fiquei com aquela frase na cabeça?
"Tem gente que nasceu pra certas coisas na vida. Eu fui nascida para perdoar."
Deus meu, agora penso que é a concentração da essência de uma mulher. Perdoar. Por entender cada traço de culpa em cada tonelada de Arrependimento, mais do que é humanamente conhecido, mais do que é ocidentalmente tragável. Perdoar. Porque aquele assaltante chegaria em casa de noite, sentaria no chão e veria que a correntinha se arrebentou e já não vale muito. E que só consegue comer por jogar na cara dos outros o maior temor que assola um ser, humano, que é o de não mais poder se mostrar como queria. Perdoar desejando. Voltar no tempo para dar-lhe o pingente de cristal caído entre os seios quando ele puxou.

[é que assim ganharia uns trocados e a Ilusão: viver da submissão de transeuntes vale a pena. é que nem a pior das criaturas merece, ainda que num instante inconsciente, morrer de dó de si mesmo, meu bem...]

e eu desculpo.

8 comentários:

Otavio Cohen disse...

ah, é???

que coisa.

não sabia.

bonito isso.

~§~ disse...

entendi errado ou vc foi assaltada?

qto a perdoar...devo ter batido meu recorde de guardar mágoa. Mas inevitavelmente a gente perdoa, seja por carinho à algumas, ou talvez tenhamos o dom de entedermos as pessoas, ou se não as entendemos, pelo menos sabemos que as vezes elas nos ferem sem intenção. E tbm temos sensibilidade o bastante pra saber que há pessoas que ATÈ merecem nosso perdão pq os pecados delas quem vai julgar é papai do céu.

"Guardar ódio por alguém é o mesmo que tomar veneno e desejar que o outro morra".
=)

cah sandman disse...

eu achava que sempre tinha que perdoar

até descobrir que quem estava errando era eu

=******

Mr. Ziggy disse...

Minha linda, minha leitura da situação é a seguinte: o que jaz por trás de tudo isso não é o perdão, mas sim a nobreza do seu espírito. E é por isso que te amo. E é por isso que te desejo Deus.

Ni disse...

"é que nem a pior das criaturas merece, ainda que num instante inconsciente, morrer de dó de si mesmo".

Meu bem. Meu Bem.
Sabe, é estranho como me sabe tanto, mesmo sem saber. Ou como me entende, mesmo sem ter palavra trocada - trocamos sentimentos.
Perdôo a Vida por não ter me trazido Nathalia antes.

Joaquim Amândio Santos disse...

e desculpas com razão.

chama-se compreensão magnânima!

Cecilia . disse...

Devo então é ser da mais reles estatura.
Por algum tempo relembro, repenso. E em algum outro tempo, dispenso fato como quem dispensa caneta sem carga.

(tenho em mim, por tantas vezes, esta frieza naútica de quem atravessou mares frios...)

Un-Conto disse...

Oiii...hahah adorei o seu blog.
Joguei no google assim: "Inventário do ir-remediável", procurando sobre o livro pra escrever uma coisa ou outra num blog que eu acabei de criar, num click vim direito pra cá.
Adorei a imagem de apresentação, muito criativa! =)

=****
bjuo.