domingo, 26 de março de 2006

Bem mais que o tempo
Que nós perdemos
Ficou pra trás também
O que nos juntou
Ainda lembro
Que eu estava lendo
Só pra saber
O que você achou
Dos versos que eu fiz
Ainda espero
Resposta
Desfaz o vento
O que há por dentro
Desse lugar que ninguém mais pisou
Você está vendo
O que está acontecendo
Nesse caderno sei que ainda estão
Os versos seus
Tão meus
Que peço
Nos versos meus
Tão seus
Que esperem
Que os aceite
Em paz
Eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais
Eu fico onde estou
Prefiro continuar distante...

2 comentários:

Joaquim Amândio Santos disse...

definitivamente não há longe na distância...

otavio disse...

ei naaaath. bom, desculpa por ter estado longe mas as coisas estaum dificeis por aki. eu to loko pra saber qual foi o desfecho daquela sua novelaaaa. e espero q vc tenha lido e gostado de daydream tb. Naum tenho muitas novidades, soh umaaa... mas nem eh fato nenhum naum. é soh uma coisa que eu to pensando ultimamente. bjos