terça-feira, 18 de abril de 2006

E aí eu acordei e vi que não tinha mais 15 anos e por um momento, pareceu que só eu sabia.
E o dia começou infeliz, junto com as decepções e as descobertas que têm me perseguido... só que agora eu encontrei motivos que superam isso tudo.
Sabem, muita gente vê amor como aquele amor que leva duas pessoas a se casarem, ao ciúme besta, por aí. Agora eu entendi que não é bem isso.
Amor é quando você se sente extasiado ao saber que o outro tá feliz e quando mesmo com a distância, é possível cuidar um do outro e sentir o que está acontecendo.
Ele se dá quando duas pessoas se conhecem mesmo, parece que podem ler pensamentos. Quando você sabe que a maior chance é que ele termine casado com outra, mas sabe que você não vai ter saído da sua vida e sorri.
É eterno. Altruísta. Incentiva amor próprio e incentiva o sonho, não a resignação.
E eu achei que tivesse perdido isso. Nah. Meu amor de verdade é outro.
Começou há 7 anos atrás e me arranca sorrisos até hoje, felicidade, intensidade. Força. Não demanda entrega, porque já é por si só.
E passa tranquilidade, trazendo graça e indiferença para a minha decepção... é muito maior que isso, que eu. Incrível como uma das minhas maiores conquistas não foi construída só pela minha pessoa.

Bom, feliz aniversário pra mim.
Não foi fácil chegar até aqui, principalmente por eu sempre ter tido um caos e solidão por dentro.
E não foi fácil não perder minha identidade.

6 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Feliz aniversário, ainda que atrasado...
Felicidades para o seu amor (gostei como o descreveu).
Bjs e bom fim-de-semana.

Otavio Cohen disse...

q lindo...
nossa, emocionante msm...
q bom q vc agora tah vendo o amor do jeito q eu disse q era possivel ver (nao q eu tenha te ensinado, heheh). altruísmo... that's the point.
love and don't mind whether you're loved back or not.
just love
one-way street

Otavio Cohen disse...

q lindo...
nossa, emocionante msm...
q bom q vc agora tah vendo o amor do jeito q eu disse q era possivel ver (nao q eu tenha te ensinado, heheh). altruísmo... that's the point.
love and don't mind whether you're loved back or not.
just love
one-way street

Silvia disse...

e eu acho que é esse tipo de amor que a gente perde por nem ao menos percebe-lo
mais do que ser altruista, é ser verdadeiro.

Joaquim Amândio Santos disse...

amor é e será sempre dádiva. partilha. comunhão. cumplicidade.

Anônimo disse...

Excellent, love it! » » »