sexta-feira, 11 de agosto de 2006

Soundtrack: Elis Regina, "Só tinha de ser com você"

É tão estranho, estúpido quando você está vivendo aqueles dias de "é... preciso de um namorado" e pensa no passado e vê o quanto foi idiota.
Você vê que se pudesse ter tido alguma pista sobre si mesma aos 14 anos (além do seu amor pela dança, claro) teria vivido um grande amor. Agora que cresceu um pouquinho, enxerga que seus princípios eram fictícios. E as razões para o término disso tudo não eram razões. O único conforto é saber que talvez ele fosse um filho da puta mesmo.
Aí você volta para o ano de 2006 e vê a pessoa que é dona do seu amor mais puro e mais verdadeiro e personagem principal da época mais maravilhosa de sua vida cogitando se a namorada está grávida ou não... e não existe um sentimento complexo, completo, necessário entre aqueles dois e isso dói. Dói porque trai os princípios fictícios que você nem tem mais e as razões que não eram razões. Trai quem você foi no passado. E no passado, você foi a pessoa mais importante da vida de quem tem seu amor mais puro e verdadeiro até hoje.
Você não se entregou ao saudosismo dessa vez e foi se apaixonar de novo. Aí? Aí quando já estava quase concreto, descobre que o "novo ele" além de ter namorada, é bissexual e está quase traindo a moça com um cara chamado João.

2 comentários:

Otavio Cohen disse...

q dor q esse post me faz sentir...
nem sei o que dizer além de LET HIM KNOW... RISK IT ALL... IT'S UP WITH HIM...

antes q o João o faça (comentário ironico desnecessário, mas hilário)

aiai... q tristeza. soh n te ajudo mais pq to na mesma, ou pior...

alter disse...

o esquema é matar o joão e a namorada
*não me leve a sério*

dá tempo ao tempo alter ;*