domingo, 17 de dezembro de 2006

Soundtrack: Everything But The Girl, "Missing"

E então, nas minhas semanais maratonas de filme me vi em Y tu mamá tambien, na personagem de Maribel Verdú. Não porque já viajei de carro com o intuito de dormir com o Gael Garcia Bernal (isso eu concretizo depois) mas porque... todo esse ponto de interrogação ambulante que eu sou hoje vem de eu ter me calado tanto tempo.
O ponto de exclamação ambulante que já estou me tornando é conseqüência de eu ter cansado disso, e agora falar tudo. Tudo ou boa parte. Fazer tudo ou boa parte.
Estamos na torcida para que eu não me resuma a pontos e riscos e seja uma pessoa que possa transcender pontos e riscos. E esperamos que eu não vire um livro aberto porque ele seria só “arte pela arte” e não faria sentido algum... e de falta de sentido o mundo já basta por si só.
Acho difícil por enquanto as duas coisas... O máximo de emoção que tive nessas férias foi quando quis pular na cama elástica do parque de diversões e o tiozinho disse que não e eu fiquei bem puta da vida. E isso SÃO riscos... voillà: ¬¬.
E toda pessoa que tenta saber demais de mim eu bloqueio no msn.
Ai que tédio.

Um comentário:

Yuki-kun disse...

Ainda não me bloqueou. Ou bloqueou e eu não fiquei sabendo?
Ah! E qual a real importância disso? E qual a real importância disso tudo? Nada realmente importa. O amanhã poderá estar repletos de cinzas de algo pelo qual você deu importância. E aí? Tem uma coisa, aliás, que tem muita importância e eu tenho certeza que não será um monte de cinzas: você.
Amo-te cherrii =*