segunda-feira, 28 de maio de 2007

Pugno, ergo sum.

tu, li o teu corpo e arrepiei,
que do teu todo não sei
...mas a multiplicidade me encanta.
[e mata. e justifica.]

2 comentários:

Otavio Cohen disse...

palmas, palmas pra vc.

Ni disse...

COGITO ERGO SUM, li hoje, assim, em letras gigantes e numa foto de parede que eu já vi ao vivo. Essa frasezinha tão célebre traz lembranças e traz saudades.

Mas no caso da Nat, bem... Traz mais que saudade, traz tudo, alimenta razões e arrepio em nome próprio.
:)

É isso?