segunda-feira, 23 de julho de 2007

Desabafo que muitos já cansaram de ouvir...

Mas é que também cansei de ouvir de uma das pessoas mais importantes na minha vida que a dança não leva a nada...

Eu me recuso a crer que vivi uma mentira por anos.
E como a Mari diz, caso tenha vivido, não me arrependo porque das mentiras, a arte é a mais verdadeira.
Se falo em "viver", é porque só fui fazer isso direito no dia que acordei e fui dançar. Nunca vai me doer falar isso.
Há alguns dias, alguém que admiro muito veio me procurar e dizer que estava orgulhosa de mim. Desde esse dia, me provei mais uma vez que jamais precisava duvidar do quão longe eu posso ir... ter meu amor, fascínio, estilo de vida declarado e notado assim, sem precisar palavrear nada, mais que um objetivo, foi algo que fiz pouco a pouco, respeitando meu tempo e conciliando corpo e alma. Ninguém me tira isso... podem me chamar de louca e inconseqüente e o resto, que ser o que sou hoje por ter olhado pra mim mesma e me escutado está acima de qualquer incompreensão dos outros.
Você, pai, me disse que eu não seria bailarina da forma mais rasgada do mundo. Me deu o choro, a dor de cabeça... mando minha revolta pro inferno e o que te dou de volta, são os vestígios dela manifestados nessas linhas e a garantia de que será a última vez que se manifestam.
Sei que estávamos ocupados demais. Enquanto eu criava maneiras de ir me desprendendo de ti, você se ocupava de dar toda sua compreensão pra filhos de outras pessoas. Sei que não nos conhecemos como poderíamos, hoje eu quis mudar isso ... só não quero mais porque te dar a oportunidade de me ver claramente seria murchar um pouco... Seria abandonar tudo aquilo que concluí e em que me agarrei sem precisar tanto de ti, porque estaria absorvendo a sua maneira de pensar, e ela é mais intolerante que a minha.
Não posso.
É uma vontade maior que eu a de continuar me ouvindo e motivar quem se aproxima a se ouvir também... uma vontade imensa de agarrar a oportunidade de ser o que quiser, e não resumir uma vida em faculdade de direito e medicina, 8 horas de trabalho previsível, casamento com o sexo oposto (claro, desde que seja cristão, mais rico e racional) e filhos que brincarão de video-game, passearão na Disney e um dia fumarão maconha pra experimentar.
Queria muito me sentir culpada por criar laços com os únicos, perdidos, que já enfiaram o dedo num pote de tinta prá colorir a vida e ainda enquanto crianças, já haviam ouvido atentamente os traços de compaixão, amor e saudade nas situações restritas a seus mundos ainda pequenos (que, mais tarde, fizeram-lhes compreensivos, abertos, fortes e inquebráveis)... só que não dá, não... você desculpa a minha falta de culpa? =)
Porque eu te amo além da sua falta de crença.
Talvez daqui a alguns anos eu vá ver que seja, sim, falta de humildade, rebeldia, ignorância da minha parte... mas é que agora, soa como ...
vontade de ver florescer.
Só não me desculpo MESMO é por sonhar apesar de.

2 comentários:

Ni disse...

Choro e orgulho pelo que li.
Tu m'entendes tanto que às vezes acho que já nos abraçamos por entre notas musicais.
Não sou bailarina e não almejo o palco assim, a pezinhos pro alto, braços esticados e mãos, gloriosamentes postas ao ar - majestoso bailarinar. Meu rodopio é d'outro jeito, envolve voz e respirar, cabelos soltos e movimentos rápidos, por vezes sem tanta beleza.
Mas ainda assim, somos palco juntas. Somos vontade juntas. Somos, as duas, amor.

Um dia, rasgaram minha vida inteira. Palavras entravam duras feito pedra dentro de mim e nesse dia, a partir de todas as facas enfiadas dentro de mim, percebi: a arte incomoda. Dói, também, em mim - em nós. Mas que doa, pois todo sorriso um dia foi dor, e todo reconhecimento foi dor, e todo aplauso foi dor... E toda a vida tem dor, se não doer, não vivemos.

Obrigada por ser parte de mim neste mundo descrente da ARte. E que o nosso infinitivo AR nos mantenha vivas e juntas, ainda, por muito tempo. Atriz e bailarina, rodopiando e sendo, por aí.

Mah disse...

Nat!
VOCÊ É pura arte!
Me emocionou o que vc escreveu aqui... vc é assim, vc é sincera, é pura.
Com certeza eu adoraria te conhecer e mais do que isso, te ver dançar!
Seria lindo,mona! Pode saber que eu espero por isso com a certeza de um encontro inesquecível!
Você é arte, querida... nunca deixe isso morrer

=*